6 de out de 2010

Pozzuto: Carta de Chico Mendes á Marina Silva

Por isso tenho certeza de que agora você saberá decidir o teu papel no segundo turno com a consciência de que precisa ser de tal forma a dar passos em frente na luta de construção de um Brasil mais justo e feliz. 

Retroceder será como lavar as mãos diante das queimadas. Será como nada fazer para impedir a derrubada das matas e ficar indiferente com o barulho das motosserras.

Sucumbir agora, Marina, frente aos interesses daqueles que sempre desprezaram nossas lutas, a luta dos povos das florestas e das cidades, é confirmar que minha morte foi em vão e a tua luta não valeu a pena.

O trecho é de uma carta escrita por Chico Mendes, seringueiro que lutou contra o desmatamento, contra os exploradores da Amazônia. Mendes é o mentor político de Marina Silva. Ele morreu em 1989. 

Vale lembrar que naquele ano, Lula disputava o segundo turno das eleições com Fernando Collor de Mello. O resultado ficou bastante conhecido pelos brasileiros. Mas Chico Mendes pedia para Marina não retroceder nos seus princípios, e apoiar Lula.

Será que agora, em 2010, Marina apoia Dilma ou vai "sucumbir [...], frente aos interesses daqueles que sempre desprezaram nossas lutas, a luta dos povos das florestas e das cidades", matando, pela segunda vez, Chico Mendes?

Abaixo a íntegra da carta, disponível no blog do Heriberto Pozzuto:

Companheira Marina,

Primeiramente quero te cumprimentar pela magnífica votação que você conquistou nas eleições presidenciais e saiba que és para nós acreanos um motivo de muito orgulho.

Companheira Marina, você sabe bem que eu não queria morrer pois temia que minha morte fosse em vão e em nada ajudasse no combate à opressão sobre os povos das florestas, tampouco não conseguiria deter a destruição da natureza.

Imagino que tua luta tenha sido como nos empates que fazíamos por entre os seringais, enfrentando os pistoleiros. Lembro-me daquela vez em que  reunimos setenta homens e mulheres e fizemos uma trincheira na selva para impedir o desmatamento.

Fiquei muito feliz com a eleição do companheiro Lula para a presidência do Brasil, mais ainda quando ele anunciou que você seria a ministra do meio ambiente.

Aqui onde estou todos comentam sobre como o Brasil passou a ser importante para a humanidade com a atuação do presidente operário.

Sei que nem tudo está exatamente como queríamos e que ainda muito precisa ser feito.  

Por isso tenho certeza de que agora você saberá decidir o teu papel no segundo turno com a consciência de que precisa ser de tal forma a dar passos em frente na luta de construção de um Brasil mais justo e feliz.   

Retroceder será como lavar as mãos diante das queimadas. Será como nada fazer para impedir a derrubada das matas e ficar indiferente com o barulho das motosserras.

Sucumbir agora, Marina, frente aos interesses daqueles que sempre desprezaram nossas lutas, a luta dos povos das florestas e das cidades, é confirmar que minha morte foi em vão e a tua luta não valeu a pena. 

Abraço fraterno do
    Chico Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário