5 de out de 2010

Serra legalizou o aborto, não Dilma!

Caiu no colo deste blogueiro o polêmico(?) vídeo de Dilma, que gerou a ira de católicos e evangélicos radicais. Durante sabatina do jornal Folha de São Paulo, em 2007, quando questionada sobre o aborto, Dilma disse que é a favor da descriminalização do aborto. 

Segue abaixo o vídeo para conhecimento dos nobres leitores:


Primeiramente, Dilma não é a favor da legalização do aborto. Ela é a favor da descriminalização, ou seja, de que o aborto seja tratado como questão de saúde e não somente de crime contra a vida.
 
A descriminalização da maconha, ou seja, que os usuários da droga sejam tratados por profissionais da saúde (médicos, psicológos, psiquiatras, se for o caso) e não debaixo de cacetete, não significa legalizar a droga, mas reduzir seus danos, inclusive sociais e culturais.

Assim como as drogas matam, o aborto também mata. Mata não só o feto, como a mulher que o leva. Vale lembrar também que mulher rica e pobre tem tratamento distinto na questão do aborto. Essas, por conta de sua condição econômica precária, recorrem a procedimentos cirúrgicos nos hospitais municipais e federais; aquelas, dada sua condição econômica razoável, mas trancafiadas em seus valores retrógrados, recorrem ao aborto ilegal, que custa entre R$ 1, 000 e R$ 1, 200.

O problema do aborto tem, na sua natureza, fatores culturais e religiosos. Em pleno século XXI, não é possível que o Brasil, com as dimensões continentais que possui e a importância política no cenário internacional, adquiridas ao longo de oito anos, tenha levado as eleições para o segundo turno por conta desse tema, analisado de forma superficial.

Transformar Descriminalizar em Legalizar não é apenas confundir o eleitor pela fonética, mas alterar sua essência, seu real significado, ou seja, sua semântica. Descriminalizar, como este blogueiro explicou, significa retirar de algum fato ou ato o seu caráter meramente criminal e levá-lo para outras esferas – nesse caso, levar para a esfera de políticas públicas de saúde.

Legalizar significa exatamente transformar determinado costume ou ato em Lei, que será de caráter público, geral e com validade em todo o território nacional, se esta for Lei Federal. Ao contrário de Dilma, cujas acusações se sustentam somente em boatos, vindos de correntes reacionárias da Igreja Católica e Evangélica, o candidato José Serra – esse sim! – legalizou o aborto em todo o Brasil.

Quando era Ministro da Saúde, no governo Fernando Henrique Cardoso, Serra assinou várias medidas LEGALIZANDO o aborto no Brasil, através do SUS. Ordenou, inclusive, os procedimentos para realização de abortos previstos em lei, a partir do 5º mês de gestação. Clique aqui para ler a norma na íntegra. Abaixo, imagens da norma, com o nome de Serra embaixo:



Eduardo Pessoa

Um comentário:

  1. Existe uma lei de 1940 que diz que mulher estuprada pode fazer o aborto, o Serra apenas baixou uma normatização de como o SUS deveria agir nestes caso, e na Norma dele era obrigatório a apresentação do BO da policia sobre o estupro, ou seja só era aceito se tivesse a ocorrencia do estupro com quexa na Policia.

    Agora o Sr Humberto Costa Ministro da Saúde no Governo do Lula em 2004 praticamente liberou o aborto para quem quiser, ele retirou das normas a obrigação de apresentação do BO da Policia, ou seja bastava chegar lá e dizer que a gravidez era decorrente de estupro sem precisar comprovar.

    VOCÊ DEVERIA LER COM MAIS ATENÇÃO ESSE DOCUMENTO!
    ELE NORMATIZA O PROCEDIMENTO A SER SEGUIDO PELOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE CONFORME A LEI DE 1940.

    ResponderExcluir