23 de nov de 2010

Folha e a aversão pela esquerda

Saiu na Folha Poder:

A família do ex-presidente João Goulart [1961-1964] teve um pedido de indenização por danos materiais e morais aos Estados Unidos negado pela ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Ellen Gracie.

Segundo a família, os EUA contribuíram decisivamente para o golpe militar de 1964 que o tirou do poder.

A família de Jango usou como argumento livro do então embaixador americano Lincoln Gordon, morto no ano passado, confirmando a participação dos EUA no golpe.

A viúva de Jango, Maria Thereza Goulart, e seus filhos --João Vicente Fontella Goulart e Denise Fontella Goulart-- reclamam ainda que passaram a sofrer perseguições, ameaças e dificuldades financeiras após o golpe.

O pedido contra os EUA já havia sido negado nas outras instâncias.

Para a ministra, o tipo de ação --uma reclamação-- é inadequado para a questão.

===

Não só o livro de Lincoln Gordon, como outros, mostram a participação direta e indireta nos Estados Unidos no golpe militar. Jango foi deposto, porque tinha idéias "comunistas": distribuição de renda, incentivo a cultura popular, educação de qualidade. Coisas que estão na ordem do dia eram vistas como "subversão".

Apesar da sociedade ter avançado e o país ter diminuído sua desigualdade, certos setores conservadores, inclusive da própria mídia, não concordam com essa "democracia" onde os privilégios estão sendo "cassados" pelos "petistas".

A manchete ter saído na Folha não espanta este blogueiro, afinal, é nítida a simpatia deste veículo com o regime civil-militar. Se é para abrir os arquivos, o governo precisa abrir de todos.

Dilma Rousseff, presidente eleita e ex-torturada, não pode compactuar com esse tipo de postura, adotada pela Folha.

Inclusive foi a própria Folha que pediu ao Supremo Tribunal Militar (STM) acesso aos documentos da ditadura para dizer que Dilma é "terrorista". Documentos de valor histórico, mas que não produzem nenhum efeito jurídico, pois estão viciados na forma. Obtidos sob tortura, os documentos não tem validade.

Mas a Folha? Ah, a Folha acredita cegamente em torturador e atacou Lula, durante seus oito anos de governo,  e atacará Dilma.

Sem uma Ley de Medios, é capaz de Dilma sofrer atentado similar por parte da mídia. Já estão apelando para o STM para derrubar a eleição legítima de Dilma.

Para a Folha isso seria "bom para o país". Resta combinar com o povo, que aprovou o governo Lula em 80% e elegeu Dilma com mais de 50%, de qual país estamos falando...

Eduardo Pessoa

Nenhum comentário:

Postar um comentário