24 de set de 2010

Serra: o "rotweiller" que agride jornalistas!

Mostrei no post de ontem (clique aqui) como o candidato a presidência, José Serra (PSDB) utilizou de seu mais novo spot publicitário. Nele, o candidato afirma que o Partido dos Trabalhadores (PT) e sua candidata Dilma Rousseff calam a imprensa brasileira.

Com direito a revista Veja pegando fogo, rotweillers enfurecidos e a Esplanada dos Ministérios pintada de vermelho - cor símbolo do PT - a mídia se sente "acuada" diante de Dilma. 

O que, no entanto, deixou de ser exibido pelo conglomerado midiático que apoia a candidatura de Serra, embora não o tenham feito explicitamente - pois sabem que fazendo, perderiam a pouca credibilidade que lhes resta -, foi mostrar, em rede nacional, a atitude do candidato diante de jornalistas que lhe fizeram perguntas "incômodas".

Eles se calam por unanimidade quando seu candidato, intimida, agride e até mesmo demite jornalistas que fazem perguntas contundentes. Perguntas que mostram aos olhos da população, a fragilidade de suas políticas públicas enquanto governador de São Paulo.

O preço elevado dos pedágios - comparados com os do Governo Federal -, as enchentes que inundaram São Paulo e que deixou bairros meses embaixo d'água, atraso em obras importantes, como o Metrô, dão a sensação de que existe postura gerencial para administrar o Estado mais rico do Brasil.

Da mesma forma a fragilidade de seu programa de governo. Sim, ele tem programa de governo. Uma de suas propostas é retomar as privatizações; relativar o papel dos bancos (privatizar); construir praças de pedágio a nível federal; favelizar o Brasil de ponta a ponta.

Ele, porém, não pode assumir publicamente seu programa de governo. Nesm mesmo a mídia, que entrou em campo e hoje disputa ponto a ponto a eleição com Dilma Rousseff, pode fazê-lo. Portanto, como forma de esconder ou camuflar seu comportamento, que eticamente é questionável, se comporta de forma leviana com alguns veículos. 

Diz que esses meios são "Pró-Dilma". É difícil acreditar que grupos como CNT, RBS e outros sejam favoráveis ou simpatizantes do governo. Também é questionável que os jornalistas desses meios repitam "trrololós petistas", nas palavras do candidato tucano. 

São veículos comerciais, como o grande conglomerado midiático, que fazem jornalismo. Este blogueiro não vai emitir juízo de valor, por não acompanhar o trabalho desses dois grupos.

O que é perceptível é a estrutura das perguntas. Elas são as mesmas para os candidatos. A RBS, grupo que coordena o jornal Zero Hora, durante o debate com os presidenciáveis, teve uma de suas jornalistas agredidas verbalmente por Serra. Herodoto Barbeiro, da CBN - que apoia Serra - fez uma pergunta sobre pedágios e foi demitido no dia seguinte da TV Cultura.

Esses e outros episódios de agressão do rotweiller tucano estão no vídeo abaixo. Vale a pena conferir:


Nenhum comentário:

Postar um comentário